Fundos Imobiliários

Queda de 90% do CPTS11: O que realmente aconteceu?

3min de leitura

Misael Guedes

Misael Guedes

Redação

Essa semana, os investidores de Fundos Imobiliários foram pegos de surpresa com a queda de um FII muito conhecido. Estamos falando do CPTS11, ou Fundo de Investimento Imobiliário Capitânia Securities II, que caiu 90% na segunda-feira, dia 25.

Mas o motivo dessa queda não foi uma tragédia ou a quebra do fundo, o que aconteceu foi um desdobramento de cotas. E como talvez você não esteja familiarizado com o assunto, trouxemos esse artigo pra te contar tudo o que você precisa saber sobre o CPTS11, o desdobramento de cotas e como isso impacta os seus investimentos.

O CPTS11

O CPTS é um fundo imobiliário do segmento de papel mas que também possui cotas de outros fundos imobiliários, até o limite de 30% do seu PL. O Capitania tem, atualmente, 27% da carteira em cotas de outros FIIs, 3% em liquidez e 70% em CRIs.

A estratégia do fundo é aproveitar os melhores períodos de renda fixa, vendendo CRIs no mercado secundário. Já em épocas favoráveis na renda variável, o fundo busca resultados através do ganho de capital oriundos das cotas de FIIs da carteira.

O dividend yield do CPTS11 é de 10,7% nos últimos 12 meses, e seu último rendimento foi de R$ 0,79. E ao que parece, será o último mesmo nesse patamar. Isso acontece porque o fundo passou por um desdobramento recentemente.

Desdobramento de cotas

O desdobramento de cotas ocorre quando um fundo imobiliário decide aumentar o número de cotas em circulação sem alterar o patrimônio líquido do fundo.

Em outras palavras, o valor total do fundo permanece o mesmo, mas é dividido em um número maior de cotas. Isso faz com que o preço de cada cota diminua, mas o valor total investido pelo cotista permanece inalterado.

Por que os fundos fazem esse desdobramento?

Existem várias razões para um fundo realizar um desdobramento de cotas:

  • Tornar as cotas mais acessíveis: Ao reduzir o preço por cota, mais investidores podem ter acesso ao fundo, especialmente aqueles com menos capital disponível.
  • Aumentar a liquidez: Com mais cotas em circulação, pode haver mais negociações no mercado, aumentando a liquidez do fundo.
  • Psicologia do investidor: Algumas vezes, os investidores veem cotas de menor valor como mais atrativas ou com maior potencial de valorização, mesmo que isso não seja necessariamente verdade.

Porque o CPTS11 fez um desdobramento de cotas?

Apesar de no Fato Relevante o fundo não informar o motivo, aparentemente o desdobramento do CPTS11 foi para aumentar a liquidez do fundo, o que é um pouco estranho, já que o fundo já tinha um dos maiores níveis de liquidez da bolsa.

O desdobramento do CPTS11 e como ficam as minhas cotas?

O desdobramento do CPTS11 foi na proporção 1 para 10. Nesse caso, o investidor que possui 1 cota do fundo, passou a ter 10 cotas após o evento. Apesar de causar a queda de 90% no gráfico, na prática nada mudou pra quem tem as cotas do fundo.

O fundo tinha um total de 31.782.814 cotas, e após o desdobramento o novo número de cotas foi multiplicado por 10, ou seja, 317.828.140 cotas no total.

O que acontecerá com os dividendos do CPTS11?

Assim como as cotas, o dividendo também será ajustado com o desdobramento. Na última distribuição, o fundo pagou R$ 0,79 por cada cota. Caso o patamar de dividendo permaneça da mesma forma, o dividendo passará a ser R$ 0,07.

O motivo é que, embora o resultado a ser distribuído seja o mesmo, o número de cotas aumentou em 10 vezes. Para facilitar a compreensão, mostraremos abaixo:

Sem desdobramento:

Resultado a ser distribuído: R$ 25.380.000

Número de cotas: 31.782.814

Dividendo por cota: R$ 0,79

Com desdobramento:

Resultado a ser distribuído: R$ 25.380.000

Número de cotas: 317.828.140

Dividendo por cota: R$ 0,079

O investidor deve se preocupar com a queda das ações e com o desdobramento?

Em geral, o desdobramento de cotas não altera o valor total investido pelo cotista. É apenas uma reorganização da estrutura de cotas do fundo.

Portanto, os investidores não devem se preocupar com o desdobramento em si. No entanto, é sempre importante estar atento às comunicações e justificativas do fundo ao realizar tais movimentos e entender como isso se encaixa na estratégia geral do fundo.

Espero que tenha gostado deste artigo e que suas dúvidas tenham sido sanadas.

Caso tenha interesse em Fundos Imobiliários, não deixe de conferir os artigos abaixo:

Como analisar um fundo imobiliário:

Como lucrar R$ 1000 por mês com o MXRF11

O que é o Retrofit?

O que você deve evitar ao investir em Fundos Imobiliários:

VAROS 2024

Todos os direitos reservados