Contabilidade

Despesas Não Operacionais: saiba sua importância e como calculá-la

9min de leitura

Saulo Pereira

Saulo Pereira

Redator

Introdução

As despesas não operacionais são aquelas que não fazem parte da rotina de negócios de uma empresa e geralmente são relacionadas a eventos ou atividades pontuais. Elas podem ter um impacto significativo nas finanças de uma empresa e, por isso, é importante gerenciá-las de maneira adequada.

Neste post, vamos explorar o que são despesas não operacionais, fornecer exemplos, discutir a importância de gerenciá-las e apresentar algumas dicas para identificar e controlar essas despesas.

O que são despesas não operacionais

As despesas não operacionais são aquelas que não são necessárias para o funcionamento diário da empresa e geralmente são relacionadas a eventos ou atividades pontuais. Alguns exemplos comuns de despesas não operacionais incluem:

  • Perdas em investimentos
  • Gastos com litígios
  • Gastos com aquisição de empresas
  • Gastos com reestruturação da empresa

Essas despesas são diferentes das despesas operacionais, que são aquelas necessárias para manter a empresa funcionando, como salários, aluguel, contas de luz e água, e outras despesas gerais.

Exemplos de despesas não operacionais

Aqui estão alguns exemplos de despesas não operacionais que uma empresa pode enfrentar:

  • Perdas em investimentos: Se uma empresa investir em uma outra empresa ou em ativos financeiros e o valor desses investimentos diminuir, isso pode resultar em uma perda financeira para a empresa.
  • Gastos com litígios: Se uma empresa é processada ou se envolve em um litígio, ela pode ter que gastar dinheiro com advogados e outros profissionais de advocacia para defendê-la.
  • Gastos com aquisição de empresas: Se uma empresa adquire outra empresa, ela pode ter que gastar dinheiro com assessoria jurídica, avaliação de ativos e outros gastos relacionados à transação.
  • Gastos com reestruturação da empresa: Se uma empresa decide mudar sua estrutura organizacional ou seus processos de negócios, pode ter que gastar dinheiro com consultores, treinamento de funcionários e outras despesas relacionadas à reestruturação.

Importância de gerenciar despesas não operacionais

Gerenciar despesas não operacionais é importante por vários motivos. Primeiro, elas podem ter um impacto significativo nas finanças da empresa. Por exemplo, uma perda em um investimento pode resultar em uma grande queda no lucro líquido de uma empresa.

Além disso, as despesas não operacionais podem ser imprevisíveis e, portanto, é importante estar preparado para lidar com elas quando elas surgirem.

Outra razão pela qual é importante gerenciar despesas não operacionais é que elas podem afetar a saúde financeira a longo prazo da empresa. Por exemplo, se uma empresa tem um alto nível de gastos não operacionais, isso pode diminuir sua margem de lucro e afetar sua capacidade de investir em seu próprio crescimento.

Por fim, gerenciar despesas não operacionais também pode ajudar uma empresa a tomar decisões de negócios mais informadas. Ao ter uma compreensão clara de seus gastos não operacionais, a empresa pode avaliar se esses gastos são justificáveis e se estão alinhados com suas metas a longo prazo.

Como identificar despesas não operacionais

Para identificar despesas não operacionais, é importante olhar para o fluxo de caixa da empresa e identificar quais gastos não são necessários para o funcionamento diário da empresa. Alguns indicadores comuns de despesas não operacionais incluem:

  • Gastos que ocorrem com menos frequência do que os gastos operacionais. Por exemplo, uma empresa pode ter um aluguel mensal, mas só pagar por um assessor jurídico uma vez por ano.
  • Gastos que não são relacionados ao core business da empresa. Por exemplo, uma empresa de varejo pode ter despesas não operacionais relacionadas ao investimento em uma empresa de tecnologia.
  • Gastos que são imprevistos ou não planejados. Por exemplo, uma empresa pode ter que gastar dinheiro inesperadamente com um litígio ou com a reestruturação da empresa.
  • Gastos que são significativamente maiores do que os gastos operacionais. Por exemplo, uma empresa pode ter despesas operacionais mensais de $50.000, mas ter um gasto não operacional de $500.000 com a aquisição de outra empresa.

Como controlar despesas não operacionais

Aqui estão algumas dicas para controlar despesas não operacionais:

  1. Tenha uma visão clara de suas metas a longo prazo. Antes de tomar qualquer decisão de gastos, é importante ter uma compreensão clara de suas metas a longo prazo e avaliar se esses gastos ajudarão a alcançá-las.
  2. Faça uma análise de custo-benefício. Antes de gastar dinheiro com uma despesa não operacional, é importante avaliar se o benefício potencial justifica o custo.
  3. Crie um orçamento. Ter um orçamento ajudará a garantir que você não exceda seus limites de gastos e a manter o controle de suas despesas não operacionais.
  4. Monitorar regularmente seus gastos. Verificar regularmente seus gastos não operacionais ajudará a identificar quais despesas estão fora do orçamento e a tomar medidas para corrigi-las.
  5. Negociar contratos e tarifas. Se você sabe que terá despesas não operacionais recorrentes, como taxas de advocacia ou serviços de consultoria, tente negociar tarifas mais baixas ou prazos mais longos para pagamento.
  6. Use ferramentas de gerenciamento de despesas. Existem várias ferramentas, como software de gerenciamento de despesas e cartões de crédito corporativos, que podem ajudar a controlar e rastrear despesas não operacionais.

Artigos que podem te interessar

VAROS 2024

Todos os direitos reservados