Perfis

O Dia em que Naji Nahas Abalou a Bolsa de Valores do Rio

7min de leitura

Misael Guedes

Misael Guedes

Redação

A Bolsa de Valores do Rio de Janeiro já foi um dos principais centros financeiros do Brasil, mas você sabe que Naji Nahas foi o homem que a fez entrar em colapso? Neste artigo, vamos explorar a vida e carreira desse polêmico investidor, e entender como ele conseguiu quebrar a antiga Bolsa de Valores do Rio.

Tópicos abordados neste artigo:

  • Quem é Naji Nahas?
  • Vida e Carreira de Naji Nahas
  • Como Naji Nahas quebrou a Bolsa de Valores do Rio?
  • Naji Nahas e a Operação Satiagraha

Agora que você já sabe os tópicos que serão abordados, não se esqueça de continuar lendo pra entender como Naji Nahas causou um impacto tão significativo no mercado financeiro brasileiro.

Quem é Naji Nahas?

Naji Nahas é um investidor libanês-brasileiro que ficou conhecido por sua atuação no mercado financeiro, principalmente durante os anos 80 e 90. Mas, seu legado não é apenas de sucesso e riqueza, já que Nahas também é lembrado pelos escândalos em que esteve envolvido. Ele nasceu em 1949, em Beirute, no Líbano, e veio pro Brasil em 1969, onde começou a construir sua fortuna.

Nahas conseguiu se estabelecer no mercado brasileiro graças à sua habilidade de identificar oportunidades e fazer grandes apostas. No entanto, sua abordagem agressiva e especulativa, por vezes, gerou controvérsias e críticas. Além disso, Naji Nahas também foi acusado de manipulação de mercado e outros crimes financeiros.

Neste tópico, vimos uma breve introdução sobre Naji Nahas, um investidor que, sem dúvida, deixou sua marca na história do mercado financeiro brasileiro. Mas, pra entender melhor quem ele é e como ele alcançou o sucesso, precisamos olhar mais a fundo sua vida e carreira. Continue lendo no próximo tópico pra descobrir mais!

Vida e Carreira de Naji Nahas

Antes de mergulhar na história de como Naji Nahas quebrou a Bolsa de Valores do Rio, é importante entendermos melhor sua vida e carreira. Como mencionado anteriormente, Nahas nasceu no Líbano e se mudou pro Brasil em 1969. Ele começou sua carreira trabalhando na empresa de seu pai e, em seguida, fundou sua própria corretora de valores, a Nahas Investimentos.

Ao longo dos anos, Nahas construiu uma reputação de ser um investidor ousado e arrojado. Ele tinha um apetite voraz por risco e não tinha medo de apostar alto, o que o levou a acumular uma fortuna considerável. Além de sua corretora, ele também se envolveu em outros negócios, como a Participações Morumbi e a Cimento Portland.

Mas, a carreira de Naji Nahas não foi só de glórias. Ele enfrentou diversas acusações de manipulação de mercado e fraudes, o que resultou em investigações e processos judiciais. Um dos episódios mais marcantes foi quando ele quebrou a bolsa de valores do Rio de Janeiro.

Agora que conhecemos mais sobre a vida e carreira de Naji Nahas, vamos entender como ele conseguiu quebrar a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro no próximo tópico.

Como Naji Nahas quebrou a Bolsa de Valores do Rio?

O evento que definiu a carreira de Naji Nahas e o colocou no centro das atenções foi, sem dúvida, o colapso da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro em 1989. Mas, como isso aconteceu? Vamos analisar os eventos que levaram a esse momento histórico.

Nos anos 80, o Brasil viveu anos de alta volatilidade econômica. Muitos planos de controle de inflação não funcionaram. A taxa de juros estava nas alturas, a nossa economia estava fechada para o mundo por conta da nossa situação.

Com isso era natural ver que o mercado por aqui oscilava bastante, fruto da extrema incerteza sobre a economia e às políticas de governo da época.

As bolsas do Rio e de São Paulo viviam numa disputa para atrair mais investidores. Enquanto no Rio, a bolsa aprovou uma nova forma de financiamento pra que negociava ações: As operações D-Zero.

Essa operações consistia na liquidação imediata após o fechamento de cada contrato, por meio de financiamentos bancários. Antes, o prazo era de 5 dias úteis.

Com isso, a bolsa do Rio conseguiu o que queria e atraiu muitos investidores, o que aumentou demais o volume de negócios por lá.

Operação Zé com Zé

Na época, Nahas era conhecido por suas operações financeiras de alto risco e especulação, em especial na Bolsa do Rio. Em 1989, ele fez uma série de operações que acabaram inflando o mercado de ações, fazendo com que o índice da Bolsa subisse impressionantes 2.000% em apenas três meses.

O problema é que, por trás desse aumento vertiginoso, havia um esquema de manipulação de mercado. Nahas teria utilizado sua corretora pra comprar e vender ações de empresas em que tinha participação, inflando artificialmente seus preços. Por causa disso, a situação se tornou insustentável e o mercado entrou em colapso.

Essa operação se chama Zé com Zé, e funciona assim:

Ele vendia e comprava ações para si mesmo, através de "laranjas". Com isso, manipulava uma alta de forma artificial.

A CVM afirmou que Naji Nahas usou mais de 100 laranjas que faziam esse trabalho de inflar o mercado de ações para ele. E como o mercado não estava aberto para estrangeiros, era mais fácil manipular o mercado.

Ele sozinho, dominava o mercado e chegou a representar uma grande parte do mercado. Só de corretagem, ele chegou a pagar US$ 3 milhões em dois meses.

Em junho de 1989, a Bolsa de Valores do Rio suspendeu suas atividades, e Naji Nahas acabou sendo acusado de causar a quebra da instituição. Ele foi condenado por manipulação de mercado e teve seus bens bloqueados, mas, anos depois, acabou sendo absolvido em segunda instância por falta de provas.

Agora que sabemos como Naji Nahas quebrou a Bolsa de Valores do Rio, vamos abordar um dos episódios mais recentes de sua vida: a Operação Satiagraha e suas consequências.

Naji Nahas e a Operação Satiagraha

Embora a história da quebra da Bolsa de Valores do Rio seja o evento mais marcante na vida de Naji Nahas, não foi o único episódio controverso em que ele se envolveu. Em 2008, Nahas voltou às manchetes, desta vez em razão da Operação Satiagraha conduzida pela Polícia Federal.

A Operação Satiagraha tinha como objetivo investigar crimes financeiros, como lavagem de dinheiro e evasão de divisas, envolvendo diversas personalidades do mundo empresarial e político. Naji Nahas foi um dos alvos da operação, e acabou sendo preso sob a acusação de participar de um esquema de desvio de recursos do Banco Rural e do Banco do Brasil.

Mas, após passar 45 dias na prisão, Nahas foi solto e, posteriormente, teve seu processo anulado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A decisão se deu porque a operação foi baseada em interceptações telefônicas realizadas pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que foram consideradas ilegais.

Embora Naji Nahas tenha conseguido se livrar das acusações na Justiça, seu nome continua associado a escândalos e polêmicas no mercado financeiro. Sua história nos mostra como a especulação e a busca incessante pelo lucro podem levar a consequências desastrosas para os mercados e para os investidores.

Esperamos que este artigo tenha sido esclarecedor sobre a trajetória de Naji Nahas e a quebra da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Agradecemos pela presença e nos vemos no próximo artigo.

Artigos que podem te interessar

VAROS 2024

Todos os direitos reservados