Fundos de Investimentos

Como ficou quem comprou ações da Eletrobras com o FGTS?

5min de leitura

Misael Guedes

Misael Guedes

Redação

No ano passado, ocorreu a privatização da Eletrobrás e os brasileiros tinham a possibilidade de participar disso investindo parte do Fundo de Garantia, o famoso FGTS, na compra de ações da Eletrobras.

Na época, houve muto debate acerca das vantagens e desvantagens de pessoas com pouco ou nenhum conhecimento em investimentos ou na própria Eletrobras pegarem uma parte do valor reservado para a aposentadoria, que na maioria dos casos é a reserva de emergência e não como você sabe, não deve ser investido pensando no curto prazo em nenhuma situação.

Haviam algumas cláusulas pra evitar a venda das ações, uma delas era que o investimento deveria ser mantido por pelo menos um ano antes de poder ser resgatado de volta para o FGTS, mas após um tempo já era possível migrar o investimento para fundos de ação com gestão ativa, aqueles fundos que possuem uma carteira com vários papéis e fazem trocas periódicas de acordo com a necessidade.

Mas no geral, como ficaram os 370 mil trabalhadores que investiram cerca de R$ 6 bilhões na Eletrobras naquela época?

O valor da ação na época era R$ 42, ao longo do tempo as ações subiram até pouco mais de R$ 50 mas desde novembro os papéis estão em queda livre, hoje a ação está cotada a R$ 35. Os R$ 6 bilhões viraram R$ 5 bilhões com a desvalorização das ações.

Essa diferença foi quase o valor que foi migrado para os fundos de gestão ativa, R$ 954 milhões. A maioria buscando diversificação do investimento e receosos com todo o ruído político causado pelas declarações do presidente Lula sobre o processo que levou a Eletrobras a privatização.

grafico das açções da eletrobras

Segundo o Valor Investe, o Patrimônio Líquido dos fundos mútuos de privatização da Eletrobras vem acumulando quedas sucessivas. Isso leva a saída de cotistas. O número de cotistas desses fundos saiu de 351 mil na estreia pra 311 mil agora em maio, uma queda de 40 mil cotistas, o que é bastante coisa.

Agora a dúvida que fica pra que tá investido é se deve manter o investimento ou migrá-lo pra um fundo de gestão ativa. E é por isso que ao investir em qualquer coisa é importante saber o porque você está investindo e se esse investimento é o melhor pra você.

Se você investiu em alguma empresa sem a mínima ideia do que ela faz ou quais são as perspectivas de crescimento ou queda dos resultados, muito provavelmente você não deveria ter investido nessa empresa.

As opiniões são divididas, os gestores de fundos acreditam que a Eletrobras ainda é um bom investimento no longo prazo, e recomendam fazer a migração pensando na valorização ao longo dos anos.

Já os analistas de ações de várias casas acreditam que é necessário aguardar os próximos desdobramentos pra quem entrou. O investimento em ações deve ser pensando em longo prazo e como o mercado é feito de ciclos e quedas farão parte do caminho, e retirar na queda nem sempre é a melhor opção, principalmente nesse caso, onde as opção são limitadas.

Por aqui ainda estamos analisando Eletrobras e por enquanto não temos um veredito sobre a ação. Mas sobre o investimento na época, o Leandro fez um fio falando sobre o caso, mostrando como a decisão desse investimento era bem clara, levando em conta o público alvo e a forma como foi feito.

tweet de Leandro Siqueira sobre a Eletrobras e o FGTS

https://twitter.com/vowtz/status/1532106516844642305?s=20

VAROS 2024

Todos os direitos reservados